Comunique-se com o Marco Gianecchini Fernandes no suporte@soubem.com ou número abaixo para saber de novas vivências, ou para informações sobre como agendar uma em sua cidade.

                                                  (51) 8559-6088 / WhatsApp    

Fotos da Vivência O Portal em Gramado 

Fotos por: Claudia Maria Borges, Marco Gianecchini Fernandes, Lúcia Guaspari, Ana Lúcia Padilha, Scarlett Palhano 

Foto por Marcia Mendes

Não deixe sua mente colocar limites em suas possibilidades! Mesmo que não compreenda como, mantenha-se aberto (a) para os milagres( aquilo que está além do ordinário, do conhecido).

Sua vida está desconfortável? Examine-se.

Tudo que o está fora de nós é o que está dentro de nós.

Fomos treinados a olharmos para fora, para a nossa aparência, para o que as pessoas estão nos fazendo, para o problema que estamos vivendo e o olhar para fora só faz com que nos sintamos cada vez mais desconfortáveis. Nos afastamos de nós mesmos. Ficamos amargos, temerosos, tristes, ansiosos, irados, obsessivos...

Se estamos negativos, nossa vida caminhará para o negativo, se estamos preocupados, vamos gerar mais preocupações e assim vamos crendo cada vez mais no que estamos sentindo e,aí vem as sugestões: "não sou mais útil pra ninguém, ninguém se importa com a minha vida...nada na minha vida dá certo, tudo é difícil, tudo é complicado" é isso que estamos mandando para o universo.

As infinitas possibilidades só podem nos encontrar quando abrimos o espaço, quando abrimos a porta, sem querer entender, analisar, qualificar . Tudo acontecerá de fato em nossas vidas se PERMITIRMOS e TUDO está dentro de nós.

Toda crise é uma sinalização amorosa do universo nos convidando para mudanças.

Te amo te amo

Gratidão.

Marcia Mendes

GRAMADO, é uma grande oportunidade para eu e você experimentarmos uma grande transformação em nosso sistema de crenças.

 

 Foto por Marcia Mendes (Agosto, na Alemanha)

 ASSIM NA TERRA, COMO NO CÉU 

Se você considera o inferno um estado de espírito, então ele se encontra à nossa volta. Inferno pessoal e inferno coletivo. Os outros podem nos prevenir: se não fizermos o que eles dizem que devemos fazer, iremos para o inferno. Más notícias! Já estamos nele. Nós e as pessoas que nos disseram isso. Por  isso é que nenhum ser humano pode condenar outro ao inferno. É verdade que podem nos colocar num inferno ainda mais profundo. Mas apenas se permitirmos que isso aconteça. A identificação é o passaporte para responsabilizarmos os outros e experimentarmos um pouco de ira, tristezas, doenças, escassez, disfunções diversas, vícios, ressentimentos, mágoas, cólera, obsessões, amarguras...

Somos todos cegos. Os véus das memórias/padrões nos impedem de ver, são as crenças falsas mantidas em nossas mentes, alimentadas por nós através dos pensamentos/emoções que nos mantém em nossos infernos. Estamos sempre ávidos por estar certos e  tornar os outros errados.

Por isso, os seres humanos resistem à vida. A morte não é o maior medo que os homens possuem; nosso maior medo é estar vivo. Assumir o risco de viver e de expressar o que somos na verdade, livres de qualquer comprometimento com o medo.  Simplesmente ser quem somos – esse é o nosso grande paralisador. Temos a ideia falsa que estamos paralisando a nossa dor (paralisa a dor), então ficamos parados repetindo, pois embora nossa vida não ande, conhecemos o lugar.

Aprendemos a viver nossa vida tentando satisfazer as expectativas alheias. Aprendemos a viver pelos pontos de vista de outras pessoas, por causa do receio de sermos aceitos e de não estarmos à altura do que esperam de nós.

Se você quer viver uma vida de alegria e satisfação, precisar encontrar coragem para romper esses compromissos baseados no medo e reclamar seu poder pessoal.

Gramado nos espera, para abandonarmos a cruz e vivermos o céu. 

Te amo te amo 

Marcia Mendes 

Equipe Ho'oponopono Brasil  -  Marco Gianecchini Fernandes, Marcia Mendes, Alexander McAlister